Informação

Para entrar no xat principal clique no seu nick e escolha um nome... obrigado pela sua visita...

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Estado Islâmico quer matar Papa Francisco,avisa embaixador iraquiano

"As ameaças são reais", disse Habeeb Al Sadr, o embaixador do Iraque junto da Santa Sé, numa altura em que o Papa prepara duas visitas consideradas de alto risco. Vaticano desvaloriza ameaças.



O Papa Francisco deslocar-se-á à Albânia e à Turquia EmailO embaixador do Iraque junto da Santa Sé lançou o alerta para os perigos relacionados com as próximas visitas oficiais do Papa Francisco, consideradas de alto risco, numa altura em que se prepara para se deslocar à Albânia e planeia uma ida à Turquia, países de maioria muçulmana,

“O autoproclamado Estado Islâmico foi claro — eles querem matar o Papa. As ameaças são reais”, disse o iraquiano Habeeb Al Sadr ao jornal italiano La Nazione. “Acredito que o podem tentar matar durante uma das suas viagens ao estrangeiro, ou até em Roma. Há membros do Estado Islâmico que não são árabes. Há canadianos, americanos, franceses, britânicos e até italianos”, avisa.

Na segunda-feira, durante uma conferência de imprensa, o padre Federico Lombardi, porta-voz do Vaticano, desvalorizou as declarações do embaixador e disse que não estavam previstas medidas de segurança extraordinárias durante a visita do Papa à Albânia, no sábado.

Em agosto, o Papa disse ser favorável a uma intervenção no Iraque para defender as minorias do país – incluindo os iraquianos católicos – que têm sido perseguidas e mortas pelos jihadistas do Estado Islâmico. “Nestes casos, em que há uma agressão injusta, só posso dizer que é lícito travar um agressor injusto. Sublinho o verbo ‘travar’, não digo ‘bombardear’ ou ‘começar uma guerra’, apenas ‘travar’” afirmou na altura.

Fonte: http://observador.pt/2014/09/17/estado-islamico-quer-matar-papa-francisco-avisa-embaixador-iraquiano/

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Vírus do ebola pode sofrer mutação e ser TRANSMITIDO pelo AR

"Sofrer mutação", é claro, eles próprios farão a mutação...

Estudiosos afirmam que mesmo tendo matado mais de 2.400 pessoas na África Ocidental, o ebola pode matar bem mais pessoas. A preocupação dos virologistas é que o vírus, que hoje é transmitido pela secreção dos infectados, possa sofrer mutação e começar a se proliferar pelo ar.

Se isso chegar a acontecer, mais de 22 milhões de pessoas podem ser atingidas, segundo informações do site Daily Mail.

O diretor do Centro de Investigação em Doenças Infecciosas da Universidade de Minnesota, Michael Osterholm, disse que os especialistas tinham receio de discutir a possibilidade por medo de que a história vazasse e causasse uma histeria coletiva.

O presidente da Agência de Proteção à Saúde do Reino Unido David Heymann, disse ser impossível prever como acontecerá a mutação do vírus.

Foto:Reprodução

Osterholm informou que vírus semelhantes são conhecidos por se replicar e reinventar: "Isso significa que o vírus, que primeiro apareceu na Guiné em fevereiro, pode ser muito diferente do que o que está agora invadindo a Nigéria, Congo e Camarões".

De acordo com Heyman, para que o vírus consiga se modificar, ele precisa desenvolver um novo sistema para se hospedar nas pessoas pelo sistema respiratório. "Não podemos prever o curso da doença, mas o melhor que podemos fazer é parar esse surto agora", alerta o profissional.

Fonte: http://www.dm.com.br/

Agora é tarde demais,o Ebola matará 5 Milhões de pessoas


Alerta Mundial! Virologista: 'É tarde demais, o Ebola matará 5 Milhões'

Especialista diz que vírus vai infectar toda a população dos países africanos

Um respeitado virologista alemão causou choque ao afirmar que é tarde demais para deter a propagação do vírus Ebola em Serra Leoa e Libéria, e que cinco milhões de pessoas vão morrer, notando que os esforços devem agora concentrar-se em parar a transmissão do vírus para outros países.

Jonas Schmidt-Chanasit do Instituto Bernhard Nocht de Medicina Tropical em Hamburgo disse o alemão Deutsche Welle que a esperança é tudo, mas perdeu para os habitantes de Serra Leoa e Libéria, e que o vírus só vai "queimar a si mesmo", quando se infectou toda a população e matou cinco milhões de pessoas.

"O momento certo para obter esta epidemia sob controle nesses países foi perdido", disse Schmidt-Chanasit."Esse tempo foi maio ejunho. "Agora é tarde demais."

O atual surto de Ebola na África Ocidental já matou mais de 2.200 pessoas, com a Libéria ea Serra Leoa representando mais de 1.700 dessas mortes.

Enquanto pedindo "apoio maciço" da comunidade internacional para evitar Ebola aparecendo em outros países como Nigéria e Senegal, Schmidt-Chanasit adverte que a contenção dos epidemia na Libéria e na Serra Leoa é um afastamento da realidade.

Organização de ajuda alemã Welthungerhilfe criticou Schmidt-Chanasit por seus comentários, com o coordenador baseado Serra Leoa Jochen Moninger rotular suas declarações, "perigoso e, além disso, não é correto." No entanto, Moninger reconheceu que a avaliação de Schmidt-Chanasit podem ser precisas no caso da Libéria

A Organização Mundial da Saúde recusou-se a comentar as declarações de Schmidt-Chanasit.


Embora Ebola continua a raiva em cinco países africanos, a cobertura
da mídia sobre a epidemia diminuiu, apesar de
evidências de que o vírus sofreu uma mutação .

Como informamos no mês passado , o ex-funcionário da FDA Scott Gottlieb, MD advertiu que se o vírus estava a atingir os Estados Unidos, o CDC iria promulgar procedimentos de emergência que poderia levar a americanos saudáveis, que não apresentam sintomas do doente serem forçosamente detidos por tempo indeterminado período de tempo.

Cientistas do Canadá e do Canadá Agência de Saúde Públicatêm ambos reconheceram que o vírus provavelmente foi transportado por via aérea, pelo menos até certo ponto, enquanto o CDC pediu que funcionários da companhia aérea a tomar medidas para impedir a disseminação aérea do vírus, inclusive dando presumíveis vítimas de Ebola cirúrgico máscaras, bem como orientando funcionários para "não usar ar comprimido, o que pode se espalhar material infeccioso através do ar."

Fonte: Infowars

sábado, 13 de setembro de 2014

Explosão dupla de tempestade solar leva centro americano a emitir alerta mundial

Preocupação é de que fenômeno possa interromper sinais de GPS, comunicações por rádio e transmissões de energia

Uma rara explosão dupla de tempestades solares magneticamente carregadas irá atingir a Terra na noite desta quinta (11) e de sexta-feira (12) e cria preocupações de que sinais de GPS, comunicações por rádio e transmissões de energia possam ser interrompidos. O assunto foi exposto por autoridades norte-americanas nesta quinta.
Nasa/Getty Images
Imagem da Nasa mostra gigantesca tempestade solar ocorrida em novembro de 2003
Individualmente, as tempestades, conhecidas como ejeções de massa coronal ou CMEs, não justificariam advertências especiais. No entanto, o curto intervalo atípico e sua rota direta para a Terra levou o Centro de Previsão Climática, da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA), a emitir o alerta.
O primeiro CME, que explodiu a partir de uma região magneticamente conturbada do sol na segunda-feira (8) à noite, deve chegar à Terra na noite de quinta, disse o diretor do centro Thomas Berger a jornalistas em uma teleconferência.
O mesmo pedaço da superfície solar produziu uma segunda tempestade mais poderosa perto das 17h45 (horário GMT) de quarta (10). "Nós não esperamos quaisquer impactos incontroláveis à infraestrutura nacional por conta dos eventos solares neste momento, mas estamos acompanhando de perto esses eventos", disse Berger.
O sol está atualmente no pico de seu ciclo de 11 anos, embora o nível global de atividade esteja muito menor do que o típico para um pico solar.
Getty Images
Tempestades devem gerar belas Auroras como esta, registrada na Groenlândia em 2007
Tempestades tão poderosas como as de agora, que estão fazendo o seu caminho para a Terra, normalmente ocorrem entre 100 e 200 vezes durante um ciclo solar, disse Berger.
"O fato único sobre este evento é que nós tivemos dois em rápida sucessão e as CMEs poderiam estar interagindo em seu caminho para a Terra, na órbita da Terra ou além. Nós simplesmente não sabemos ainda", disse ele.
As partículas solares altamente energéticas e magneticamente carregadas podem atingir o campo magnético da Terra e interromper algumas comunicações de rádio e degradar os sinais de GPS, disse o NOAA.
As tempestades também têm o potencial de afetar as redes de energia do campo elétrico nas latitudes norte, que são mais suscetíveis a perturbações geomagnéticas.
Operadores de rede elétrica e da Agência Federal de Gerenciamento de Emergências (FEMA) foram notificados "apenas por precaução", Berger acrescentou.
No lado positivo, as tempestades devem provocar belas auroras, sempre visíveis quando o céu estiver limpo ao longo do norte dos EUA. As auroras são causadas por partículas solares eletricamente carregadas que atingem o oxigênio, nitrogênio e outros gases na alta atmosfera, criando cortinas de luz acima dos polos magnéticos norte e sul do planeta.

fonte:http://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/2014-09-11/explosao-dupla-de-tempestade-solar-leva-centro-americano-a-emitir-alerta-mundial.html

Papa Francisco diz que conflitos atuais pelo mundo são Terceira Guerra Mundial fragmentada

REDIPUGLIA Itália 13 Set (Reuters) - O papa Francisco disse neste sábado que a série de conflitos atuais ao redor do mundo corresponde efetivamente a uma Terceira Guerra Mundial "fragmentada" e condenou o comércio de armas e os "idealizadores do terrorismo" de semear a morte e a destruição.    "A humanidade precisa chorar e essa é a hora de chorar", disse o papa na homília de uma missa durante visita ao maior memorial de guerra da Itália, um grande monumento da época do fascismo, onde mais de 100 mil soldados que morreram na Primeira Guerra Mundial estão enterrados.    O papa iniciou sua breve visita ao norte da Itália orando em um cemitério próximo, onde estão enterrados 15 mil soldados de cinco nações do império austro-húngaro, que estavam no lado derrotado da guerra que eclodiu há 100 anos.    "A guerra é loucura", afirmou o papa em sua homília diante do grande memorial feito de granito, que é inclinado, possui 22 degraus ao lado de uma colina e três cruzes no topo.    "Mesmo hoje, após um segundo fracasso de uma guerra mundial, algumas pessoas falam de uma terceira guerra, uma que está fragmentada, com crimes, massacres e destruição", afirmou.    Nos últimos meses, Francisco fez repetidos apelos pelo fim dos conflitos na Ucrânia, no Iraque, na Síria, em Gaza e em partes da África.    "A guerra é irracional. Seu único plano é causar destruição. Ela busca crescer ao destruir", disse. "Ganância, intolerância, a cobiça pelo poder. Esses são os motivos que estão por trás da decisão de ir à guerra e eles são muito frequentemente justificados por uma ideologia", concluiu.

fonte:http://br.reuters.com/article/topNews/idBRKBN0H80ET20140913

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

115 mentiras sobre o atentado de Setembro de 2001


Especialista encontrou 115 mentiras na versão oficial sobre os atentados de 11 de setembro de 2001 ao World Trade Center. Será que tentam esconder algo das pessoas?

Considerado o maior atentado terrorista da história pelos EUA e creditado à Al-Qaeda eOsama Bin Laden, sua versão oficial possuí inúmeras falhas que contrastam com os reais objetivos das guerras estadounidenses no Oriente Médio.

Reunimos aqui exatos 115 pontos "soltos" na versão oficial do governo americano que não são os únicos, mas apensas a "ponta do iceberg".

Para cada mentira nos referimos à análise feita pelo Professor David Ray Griffin em sua obra "Omissões e manipulações da Comissão Investigadora". Os números entre parênteses referem-se às páginas da edição americana original do livro.

1 A omissão de provas de que, pelo menos, seis dos supostos sequestradores (incluindo Waled al-Shehri, acusado pela Comissão ter esfaqueado um comissário de bordo no voo UA11 antes do choque do avião com a torre norte do World Trade center) estão atualmente vivos (19-20).

2 Omissão de evidências sobre Mohamed Atta (como sua pronunciada propensão para a bebida, carne de porco e lap dances eróticos privados) que contradizem as afirmações da Comissão de que Atta tinha se tornado um fanático religioso (20 -21).

3 Confusão voluntariamente criada em torno da evidência de que Hani Hanjur era tão ruim piloto que nunca teria sido capaz de lançar um avião contra o Pentágono (21-22).

4. Omissão do fato de que as listas de passageiros (voo Manifestos), que se tornaram públicas não continha qualquer nome árabe (23).

5. omissão do fato de que nunca antes ou após 11 de Setembro, tem-se verificado que um incêndio causou o colapso total de uma construção moldada de aço (25).

6. Omissão do fato de que os incêndios nas torres gêmeas nem eram muito grande, nem particularmente intensos e duraram muito tempo, mesmo em comparação com outros incêndios em arranha-céus (com estruturas), similares sem estes últimos viessem a despencar (25-26) .

7 Omissão do fato de que, dada a hipótese de que o incêndio causou os desmoronamentos, a torre sul, que foi atingida depois da Torre Norte e afetado por um incêndio de menor intensidade, não deveria ter sido a primeira a entrar em colapso (26).

8 Omissão do fato de que o edifício n º 7 do World Trade Center (contra o qual nenhum avião caiu e sofreu apenas pequenos incêndios altamente localizados) também desabou, um fato sobre o qual a Agência de Gestão Federal emergência (FEMA) confessou que não poderia oferecer nenhuma explicação (26).

9 Omissão do fato de que o colapso das Torres Gêmeas (e prédio n ° 7) tem pelo menos 10 características de que foram causados ​​por uma demolição controlada (26-27).

10 A afirmação de que a estrutura do núcleo de cada uma das Torres Gêmeas era "um poço de aço vazio", afirmação que nega a presença de 47 enormes colunas de aço que eram, na verdade, o centro de cada torre. De acordo com a teoria dos "andares de empilhamento" (the «pancake theory») que explica o colapso, várias centenas de metros dessas colunas de aço maciço deveria ter sido deixadas em pé (27-28).

11 A omissão da declaração de Larry Silverstein [o dono do WTC], afirmação de que o próprio Silverstein, em coordenação com os bombeiros decidiram "demolir" -em linguagem técnica(to «pull») - o edifício n ° 7 (28 ).

12 Omissão do fato de que o aço dos edifícios do WTC foi rapidamente recolhido da cena e enviados ao exterior por mar, antes que pudessem ser analisados ​​por vestígios de explosivos (30).

13 Omissão do fato de que o edifício n º 7 tinham sido evacuados antes de seu colapso, o que implica que a razão que foi oficialmente dada, para acelerar a retirada de aço tanto quanto fosse possível [naquele local] (porque poderia haver sobreviventes nos escombros ) não fazia sentido, no caso de este edifício (30).

14 Omissão da declaração do prefeito R. Giuliani, que disse que ele foi avisado de antemão que o WTC ia entrar em colapso (30-31).

15 Omissão do fato de que Marvin Bush, irmão do presidente, e seu primo Wirt Walker III eram os diretores da empresa encarregada de garantir a segurança do WTC (31-32).

16 Omissão do fato de que a ala oeste do Pentágono, [a mesma que foi atingida em 11 de setembro], era precisamente por várias razões, a que tinham menos chance de ser alvo de terroristas da al-Qaeda (33-34 ).

17 A omissão de qualquer discussão que visa determinar se o dano ao Pentágono, na verdade, corresponde ao dano que poderia ter causado o impacto de um Boeing 757 viajando a várias centenas de quilômetros por hora (34).

18 Omissão do fato de que há fotografias que mostram que a fachada oeste não entrou em colapso, até 30 minutos após o impacto e que o orifício de entrada é demasiado pequeno para o diâmetro de um Boeing 757 (34).

19 Omissão de todas as evidências conflitantes sobre a presença ou ausência de pedaços visíveis de um Boeing 757, seja dentro ou fora do Pentágono (34-36).

20 Total falta de discussão destinada a determinar se o Pentágono possuía um sistema dedefesa antimísseis capaz de derrubar um avião, embora a Comissão tenha sugerido que os terroristas da Al-Qaeda decidiram não atacar uma central nuclear justamente porque pensaram que teria esse tipo de defesa (36).

21 Omissão do fato de que imagens de câmeras diferentes (incluindo de um posto de gasolina localizado no Pentágono, confiscado pelo FBI imediatamente após o impacto) podem ajudar a determinar o que foi realmente que atingiu o Pentágono (37-38 ).

22 Omissão da alusão do Secretário de Defesa D. Rumsfeld a "um míssil [usada] para atacar [o Pentágono]" (39).

23. Aprovação aparente da resposta totalmente insatisfatória, a questão que tinha como objetivo descobrir por que os agentes do Serviço Secreto permitiram ao presidente Bush permanecer na escola de Sarasota, quando, de acordo com a versão oficial deveriam ter pensado que um avião sequestrado poderia ter a mesma escola como alvo (41-44).

24 Deixar de explicar por que o Serviço Secreto não solicitou uma escolta de caças para o [Avião presidencial] Air Force One (43-46).

25 Declarações no sentido de que, no momento em que o cortejo presidencial chegou à escola [Sarasota], nenhum dos participantes sabia que vários aviões foram sequestrados (47-48).

26 Omissão do relatório em que o procurador-geral John Ashcroft foi avisado para parar de viajar em companhias aéreas comerciais antes de 11 de Setembro (50).

27 Omissão da alegação de que David Schippers, com base em informações de agentes do FBI sobre possíveis ataques no sul de Manhattan, ele já havia tentado, sem sucesso, transmitir esta informação ao procurador-geral John Ashcroft durante as seis semanas antes de 11 de setembro (51).

28 A omissão de qualquer menção ao fato de que agentes do FBI afirmaram ter conhecimento dos alvos e datas dos ataques bem antes dos eventos (51-52).

29 Afirmação de um circular refutação que dá o assunto como resolvido, quanto as incomuns baixas nas compras antes de 11 de Setembro, o que significa que os compradores sabiam com antecedência que os ataques iriam ocorrer (52-57) .

30 A omissão da informações de que o prefeito [de São Francisco] Willie Brown e alguns oficiais do Pentágono foram avisados ​​de que não deviam tomar o avião de 11 setembro (57).

31 Omissão do relatório em que constava que Osama Bin Laden, que até então era o criminoso mais procurado nos Estados Unidos, fora tratado em Julho de 2001 por um médico americano, no Hospital Americano em Dubai e lá ele recebeu a visita de um o agente local da CIA (59).

32 Omissão de artigos que sugerem que, após 11 de setembro, os militares americanos permitiram deliberadamente a fuga de Osama Bin Laden (60).

33 Omissão de relatórios, incluindo um que relatou a visita do chefe dos serviços de inteligência da Arábia Saudita, a Osama Bin Laden no hospital em Dubai, o que contradiz a versão oficial da família de Bin Laden e de seu país que negaram este (60-61).

34 A omissão do resumo de Gerald Posner sobre o depoimento de Abu Zubaydah, segundo o qual três membros da família real saudita (que morreram misteriosamente com apenas 8 dias de intervalo) eram financiadores da Al-Qaeda e sabiam com antecedência da realização dos ataques de 11 de Setembro (61-65).

35 A negação da Comissão sobre a descoberta de evidências de financiamento saudita da Al-Qaeda (65-68).

36 A negação da Comissão sobre a descoberta de evidências que mostram que o dinheiro pertencente a esposa do príncipe Bandar, a princesa Haifa, foi entregue a agentes da Al-Qaeda (69-70).

37 Simplesmente ignorou a diferença entre os voos charter e voos comerciais, o fato de que o avião particular, em que vários sauditas viajaram em 13 de setembro de Tampa a Lexington violou as normas do espaço aéreo estabelecidos naquela época (71-76).

38 Desmentindo sobre a autorização extendida a vários sauditas para sair do território dos Estados Unidos, logo após 11 de setembro, sem essas pessoas fossem objeto de uma investigação apropriada (76-82).

39 A omissão de elementos que demonstrem que o príncipe Bandar obteve autorização especial da Casa Branca para os vôos sauditas (82-86).

40 Omissão da alegação segundo a qual Coleen Rowley responsável pela sede do FBI tinha visto o memorando de agente Phoenix Kenneth Williams (89-90).

41 Omissão do fato de que o agente de Chicago do FBI, Robert Wright diz que a sede do FBI encerrou a sua investigação sobre uma célula terrorista e tentou intimidá-lo para evitar que publicasse um livro sobre suas experiências (91).

42 Omissão de evidências mostrando que a sede do FBI sabotou a tentativa de Coleen Rowley e outros agentes [FBI] Minneapolis para obter um mandado de busca para o computador de Zacarias Moussaoui (91-94).

43 Omissão de três horas de depoimento perante a Comissão do ex-tradutor do FBI Sibel Edmonds, de acordo com uma carta que ele mesmo fez pública e dirigida ao presidente [da Comissão] Kean, revelava uma dissimulação grave por dos funcionários do FBI em relação ao 11 de Setembro e nas sede do FBI (94-101) em si.

44 Omissão do fato de que o general Mahmoud Ahmad, chefe do ISI [Serviços de Inteligência Paquistanês ], estava em Washington uma semana antes do 11 de setembro e reuniu ali com o diretor da CIA, George Tenet, e outros oficiais americanos seniores (103-04).

45 Omissão de evidências mostrando que Ahmad, o chefe do ISI [serviço de inteligência Paquistanês] ordenou o envio de US $ 100.000 a Mohamed Atta antes de 11 de Setembro (104-07).

46 Afirmação de que a Comissão não encontrou nenhuma evidência de que qualquer governo estrangeiro, incluindo o Paquistão, tenha financiado os agentes da Al-Qaeda (106).

47 Omissão do relatório em que o governo Bush pressionou o Paquistão para que Ahmad fosse demitido de seu cargo de chefe do ISI, após a divulgação de informações revelando que este havia ordenado o envio de dinheiro do ISI para Mohamed Atta (107 -09).

48 Omissão de evidências de que a ISI (e não apenas al-Qaeda) estava por trás do assassinato de Ahmad Shah Massoud (comandante da Aliança do Norte no Afeganistão), que ocorreu pouco depois de um encontro uma semana antes entre o responsável pela CIA e o ISI (110-112).

49 Omissão de evidências mostrando que o ISI está envolvido no sequestro e assassinato de Daniel Pearl, repórter do Wall Street Journal (113).

50 A omissão do relatório Gerald Posner, segundo o qual Abu Zubaydah alegou que um oficial militar paquistanês, Mushaf Ali Mir, que tinha laços estreitos com o ISI e al-Qaeda sabia com antecedência de 11 de Setembro (114).

51 Omissão da previsão feita em 1999, pelo agente Rajaa Gulum Abbas do ISI, de que as Torres Gêmeas "desmoronariam" (114).

52 Omissão do fato de que o presidente Bush e outros membros de seu governo se referiram várias vezes aos ataques de 11 de setembro como "oportunidade" (116-17).

53 Omissão do fato de que o Projeto para um Novo Século Americano («The Project for the New American Century»), muitos dos seus membros, os quais tornaram-se figuras-chave na administração Bush, publicou em 2000 um documento que dizia um "Novo Pearl Harbor" ajudar a levantar fundos para uma rápida transformação tecnológica da máquina militar norte-americana (117-18).

54 Omissão do fato de que Donald Rumsfeld, que era presidente do comitê e do Comando Espacial dos EUA tinha recomendado o aumento do orçamento para isso, ele usou os ataques de 11 de setembro, no período da tarde do mesmo dia, para garantir estes financiamento (119-22).

55 Não mencionou que as três pessoas responsáveis ​​pelo fracasso dos esforços para evitar os ataques de 11 de Setembro (secretário de Defesa, Donald Rumsfeld, o general Richard Myers, e o general Ralph Eberhart) também foram os três promotores principais do US Space Command (122).

56 Omissão do fato de que a Unocal havia declarado que o Talibã não poderia fornecer a segurança adequada para realizar a construção de suas linhas de (petróleo e gás) da bacia do Cáspio e através do Afeganistão e do Paquistão (122-25).

57 A omissão do relatório que os representantes dos Estados Unidos, disseram durante uma reunião em julho de 2001 como o Taleban rejeitou sua proposta de construção de um gasoduto, e que uma guerra contra eles começariam em outubro (125-26).

58 Omissão do fato de que em seu livro, publicado em 1997, Zbigniew Brzezinski escreveu que para os Estados Unidos manterem sua dominação global é necessário para o país controlar a Ásia Central, com seus vastos recursos petrolíferos, e que um novo Pearl Harbor seria útil para obter o apoio da opinião pública americana a estes projetos imperiais (127-28).

59 Omissão do fato de que os principais membros da administração Bush, incluindo Donald Rumsfeld e seu vice, Paul Wolfowitz, esforçaram-se por muitos anos para desencadear uma nova guerra contra o Iraque (129-33).

60 A omissão de anotações de conversas de Rumsfeld antes de 11 de Setembro que mostram que este estava decidido a usar os ataques como pretexto para desencadear uma guerra contra o Iraque (131-32).

61 Omissão da declaração do Projeto para um Novo Século Americano, que "a necessidade de uma presença americana substancial no Golfo transcende a questão do regime de Saddam Hussein" (133-34).

62 A alegação de que o protocolo da FAA (Federal Aviation Agency) sobre o que aconteceu em 11 de setembro necessitaria um longo processo de aplicação que teria que passar por várias etapas da cadeia de comando quando o próprio relatório oficial [ da Comissão ] cita evidências em contrário (158).

63 A afirmação de que naqueles dias apenas duas bases do setor nordeste da Força Aérea Americana de NORAD (North American Aerospace Comando de Defesa ou Comando de Defesa Aeroespacial da América do Norte) manteve caças em estado de alerta e, em particular, houve caças em alerta nas bases de McGuire e Andrews (159-162).

64 Omissão do fato de que a base da Força Aérea americana de Andrews tinha vários caças em alerta permanente (162-64).

65 Aceitação da dupla alegação de que o coronel Marr do NEADS (North East Air Defense Sector), teria de se comunicar por telefone com um sénior para autorizá-lo a enviar os caças [da base] de Otis e que ele precisou de oito minutos para essa chamada (165-66).

66 Aprovação da alegação de que a perda do sinal do transponder torna praticamente impossível para uma aeronave ser localizada pelo radar militar americano (166-67).

67 A afirmação de que a interceptação de Payne Stewart não mostrou que o tempo de resposta do NORAD no caso do vôo AA11 foi extraordinariamente lenta (167-69).

68 A afirmação de que os caças da base Otis permaneceram no chão por sete minutos depois de receber a ordem de decolagem, porque eles não sabiam para onde voar (174-75).

69 A afirmação de que os militares americanos não sabiam que o vôo UA175 desviou-se até 09:30, o momento exato que o avião colidiu com a torre sul do WTC (181-82).

70 A omissão de qualquer explicação da razão do relatório anterior do NORAD, segundo a qual a FAA informou os militares que o voo havia sido desviado UA175 ás 8h43, é agora considerado como falso e como esse relatório, falso, poderia ser publicado e mantido como válido para cerca de 3 anos (182).

71 A afirmação de que a FAA não marcar a reunião, mas a partir das 9h20 daquela manhã (183).

72 Omissão do fato de que um memorando de Laura Brown da FAA diz que a teleconferência foi criado precisamente ás 08:50 e que tratou precisament do vôo UA175 desviado (183-84, 186).

73 A afirmação de que a teleconferência do NMCC (Centro de Comando Militar ou National Military Command Cente) não começou antes de 9h29 (186-88).

74 Falha na afirmação da Comissão de que o vôo 77 não se desviou de seu caminho antes de 08:45, o fato de que a hora mencionada em relatórios anteriores foi 8h46 (189-90).

75 Deixar de mencionar que o anúncio da queda de um avião em Kentucky, logo após o tempo de vôo 77 desapareceu do radar da FAA, foi levado a sério pelos responsáveis ​​da FAA e da unidade anti-terrorista do FBI que o enviaram para a Casa Branca (190).

76 A afirmação de que o vôo 77 voou por cerca de 40 minutos no espaço aéreo americano para Washington sem ser detectado por nenhum radar militar (191-92).

77 Fracasso ao explicar, se o relatório anterior da NORAD, de acordo com o que foi informado -as 9h24- a rota do vôo 77 estava "errada", e como foi que este relatório errôneo pode vir à luz, ou é uma questão de saber se os responsáveis ​​pela NORAD mentiram ou foram "enganados" por quase três anos (192-93).

78 A alegação de que os aviões de combate de Langley, que de acordo com o dito primeiro NORAD foram enviados para interceptar o vôo 77, baseados na resposta a um relatório errôneo de um controlador (não identificado) da FAA das 9h21 de que o voo AA11 ainda estava no voo e se dirigia para Washington (193-99).

79 A afirmação de que os militares não forma contactados pela FAA sobre o provável sequestro do vôo 77 antes do impacto com o Pentágono (204-12).

80 A afirmação de que Jane Garvey não juntou-se a videoconferência de Richard Clarke até 09h40, ou após o impacto com o Pentágono (210).

81 A afirmação de que nenhuma das teleconferências conseguiu coordenar o FAA e as respostas militares aos seqüestros porque "nenhuma das [eles] incluiu as pessoas apropriadas dentro da FAA e do Departamento de Defesa," embora Richard Clarke tenha declarado que sua própria videoconferência incluía o Diretor Jane Garvey da FAA, o secretário da Defesa Donald Rumsfeld e o general Myers Richards, chefe interino das Forças Armadas (211).

82 Declaração da Comissão que esta não sabia quais os membros do Departamento de Defesa participaram da conferência de vídeo com Richard Clarke, quando o próprio Clarke diz no seu livro que era Donald Rumsfeld e o general Myers (211-212).

83 Aprovação da declaração do general Myers que ele estava no Capitólio durante os ataques, sem mencionar o relato contraditório de Richard Clarke, segundo a qual Myers estava no Pentágono e participou da videoconferência de Clarke (213-17).

84 Falta de menção a contradição entre o depoimento de Clarke sobre os movimentos de Rumsfeld naquela manhã e as próprias declarações de Rumsfeld (217-19).

85 Omissão do testemunho de Norman Mineta secretário de Transportes, para a própria Comissão, testemunho de que o vice-presidente Cheney e outros [os presentes] no abrigo subterrâneo foram avisados ​​ás 9h26 de que um avião se aproximava do Pentágono (220 ).

86 A afirmação de que os oficiais do Pentágono não sabiam que um avião estava se aproximando deles antes de 9h32, 9h34 ou 9h36, ou apenas alguns minutos antes do edifício ser atingido (223).

87 Aceitação de duas versões que se contradizem sobre o dispositivo que atingiu o Pentágono: uma que descreve a execução de uma espiral descendente de 330 graus (uma "picada em alta velocidade") e outra que não é mencionado qual a manobra (222-23).

88 A alegação de que os aviões de combate de Langley, que, alegadamente, foram obrigados a decolar rapidamente para proteger Washington do " voo fantasma AA11" não estavam de todo, perto de Washington, porque eles foram enviados para o oceano por engano (223-24) .

89 Ignorando todas as evidências que sugeriam que o que atingiu o Pentágono não foi o voo 77 (224-25).

90 A afirmação de que a FAA não informou aos militares sobre o desvio de Voo 93 antes de cair (227-29, 232, 253).

91 Dupla afirmação de que o NMCC não acompanhou a conferência da FAA e não pode, portanto, conectar a FAA com a teleconferência iniciada pelo NMCC (230-31).

92 Omissão do fato de que o Serviço Secreto tem os meios para que esteja ciente de tudo o que faz a FAA (233).

93 A omissão de qualquer inquérito sobre os motivos para a NMCC começar sua próprio teleconferência se, como disse Laura Brown da FAA - Isso, não faz parte do protocolo padrão (234).

94 A omissão de qualquer indagação sobre por que Geral Montague Winfield não só foi substituído por um "inexperiente" (e estreante), Capitão Leidig, diretor de operações da NMCC mas também sobraram quando ficou claro que o Pentágono enfrentava uma crise sem precedentes (235-36).

95 A afirmação de que a FAA informou (erroneamente) o Serviço Secreto, entre 10h10 e 10h15, que o voo 93 ainda estava em voo e se dirigia para Washington (237).

96 A afirmação de que o vice-presidente Cheney não deu a permissão para filmar até 10:10 (alguns minutos depois da queda do voo 93) e que esta autorização não foi transmitida para a Força Aérea, até 10h31 (237-41).

97 Ignorando todas as evidências indicando que o voo 93 foi abatido por um avião militar (238-39, 252-53).

98 A afirmação de que [o czar contraterrorismo] Richard Clarke não recebeu o pedido de autorização de fogo até 10h25 (240).

99 A omissão do testemunho do próprio Clarke, o que sugere que essa permissão lhe foi pedida por volta de 9h50 (240).

100 A afirmação de que Cheney não desceu para o abrigo subterrâneo PEOC [ou CPOU (correspondente às iniciais de Centro Presidencial de Operações de Emergência]) até 9h58 (241-44).

101 Omissão dos muitos testemunhos, inclusive o de Norman Mineta [secretário de Transportes] para o próprio testemunho da Comissão de que Cheney estava no CPOU antes de 9h20 (241-44).

102 A alegação de que a autorização para abater um avião civil tiveram de ser concedida pelo Presidente (245).

103 A omissão de informações de que o coronel Marr ordenou abater o voo 93 e que o General Winfield indicou que ele e outros [agentes] na NMCC esperavam que um caça atingisse o voo 93 (252). 104 Omissão de relatos de que havia dois aviões de combate no ar a vários quilômetros de Nova York e três apenas a 320 quilômetros de Washington (251).

105 Omissão do fato de que havia pelo menos seis bases com caças em alerta na região nordeste dos Estados Unidos (257-58).

106 Aprovação da declaração do general Myers de que o NORAD havia definido sua missão em termos de defesa apenas contra ameaças dirigidas [aos Estados Unidos] a partir do estrangeiro (258-62).

107 Aprovação da declaração do general Myers que o NORAD não tinha previsto a possibilidade de que um grupo de terroristas pudessem usar aviões sequestrados como mísseis (262-63).

108 Deixar de colocar em perspectiva a importância do fato apresentado no próprio relatório, ou falar de outros fatos que provam que o NORAD havia de fato planejado a ameaça que poderia representar a possibilidade de utilização de aviões sequestrados como mísseis (264- 67).

109 Deixar de explorar as implicações da questão de como eles poderiam influenciar as manobras militares ("jogos de guerra") programados para esse dia no fracasso dos militares, na tentativa de interceptar os aviões sequestrados (268-69).

110 Fracasso em discutir a possibilidade de que o desenvolvimento da Operação Northwoods tenha favorecido os ataques de 11 de Setembro (269-71).

111 Declaração (apresentada para explicar por que os militares não receberam informações sobre os aviões sequestrados com tempo suficiente para conseguir intercepta-los) e que o pessoal das FAA inexplicavelmente falhou 16 vezes na aplicação de procedimentos padronizados (155-56 , 157, 179, 180, 181, 190, 191, 193, 194, 200, 202-03, 227, 237, 272-75).

112 Deixar de mencionar que a independência proclamada da Comissão foi fatalmente comprometida pelo fato de que seu diretor-executivo, Philip Zelikow, era praticamente um membro da administração Bush (7-9, 11-12, 282-84). (END: era um colaborador próximo de Condoleeza Rice)

113 Deixar de mencionar que a Casa Branca primeiro procurou impedir a criação da Comissão [Oficial de Pesquisa sobre os ataques terroristas de 11 de Setembro] e que impediu após o trabalho desta, com um orçamento muito limitado (283-85). (END. Orçamento previsto de 15 milhões dólar quando o filme de ficção "United 93", de Paul Greengrass custou 18 milhões e "World Trade Center" de Oliver Stone custar quatro vezes mais, ou US $ 60 milhões. Em relação ao primeiro ponto, a criação da Comissão não ocorreu até 441 dias após os ataques, e o presidente Bush propôs que fosse presidida por Henry Kissinger ... para logo se retratar perante a crítica violenta da opinião pública contra esta proposta.)

114 Deixar de mencionar que o Presidente da Comissão, e a maioria dos outros membros da Comissão, e pelo menos metade da equipe tinha sérios conflitos de interesse (285-90, 292-95).

115 Falha da Comissão, que se gabou de que a apresentação do seu relatório final, havia ocorrido "sem dissidência" sem mencionar que isso só foi possível porque Max Cleland, o membro mais crítico da Comissão quanto a o desempenho da Casa Branca e que jurou "não ser cúmplice de um processamento de informações tendenciosas" - teve que renunciar seu cargo na Comissão, a fim de aceitar uma posição no Banco Export-Import e que a Casa Branca deu conhecer a sua nomeação para o cargo somente depois que as críticas de Cleland tornaram-se especialmente diretas (290-291).

Fonte: http://www.sedeinsana.tk/2014/08/115-mentiras-sobre-o-atentado-de-11-de.html?zx=5f030ae910bbba7a

Forte explosão solar pode atingir a Terra nas próximas horas

Uma forte explosão solar registrada nesta terça-feira poderá atingir a Terra nos próximos horas e mudar a data da reentrada do lixo espacial COSMOS 1400, prevista para o final de semana. As partículas estão se aproximando a 1000 km/s.

O intenso flare foi detectado nas primeiras horas de terça-feira no comprimento de onda dos raios-x e teve como causa uma súbita erupção acima da Região Ativa AR2158. A explosão produziu uma forte ejeção de massa coronal,CME, com velocidade superior a 1000 km/s.

Como essa região está geoefetiva, ou seja, apontada para a Terra, a consequência é que parte dessas partículas altamente carregadas poderão atingir a alta atmosfera entre o dia 11 e 12 de setembro, elevando substancialmente o índice KP entre o nível 6 e 7.

Instabilidades ionosféricas dessa magnitude podem provocar variação de tensão em redes elétricas de transmissão, principalmente em localidades situadas em latitudes elevadas e caso sejam prolongadas podem danificar transformadores em subestações.

Outra consequência é a possível necessidade de reorientações na órbita de satélites, uma vez que o arrasto da atmosfera pode interferir no cálculo orbital.



A ocorrência de auroras boreais é praticamente certa caso as partículas de alta energia atinjam a Terra, com chances de serem observadas auroras também em latitudes baixas, ao redor de 55º.

Lixo Espacial

Caso atinja a Terra, o choque com a atmosfera deve ter impacto significativo na previsão da reentrada do satélite espião Cosmos 1400, prevista para ocorrer no final de semana.

Este satélite foi empregado na época da Guerra Fria pela então União Soviética e desativado em 1982. Desde então o Cosmos 1400 vem perdendo altura e está prestes a atingir o nível crítico, quando sua última órbita não poderá mais ser completada.

O objeto pesa 2.5 toneladas e está sendo monitorado constantemente pelo Satview.org, que rastreia todas as possíveis reentradas de lixo espacial.

Fonte: http://www.apolo11.com/spacenews.php?titulo=Forte_explosao_solar_pode_atingir_a_Terra_nas_proximas_horas&posic=dat_20140909-182420.inc

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Rússia realiza testes de novo míssil nuclear intercontinental


Míssil pode levar a um impacto 100 vezes maior que a explosão de Hiroshima em 1945. A Rússia realizou nesta quarta-feira, 10 de setembro, um bem-sucedido teste de um novo míssil nuclear e vai realizar mais dois testes de lançamentos em outubro e novembro.

O míssil pode levar a um impacto até 100 vezes maior que a explosão atômica de Hiroshima em 1945. Ele pesa 36,8 toneladas, pode viajar até 8.000 quilômetros e leva de seis a dez ogivas nucleares.

O lançamento foi feito a partir do Mar Branco e o míssil atingiu seu alvo, no extremo leste da Rússia.

O presidente Vladimir Putin afirmou nesta quarta-feira que a Rússia está desenvolvendo uma série de novas armas nucleares e convencionais para combater os movimentos recentes dos EUA e da Otan.

As relações entre a Rússia e o Ocidente estão em seu pior nível desde o fim da Guerra Fria por causa da crise na Ucrânia.

fonte:http://noticias.portalvox.com/internacional/2014/09/russia-realiza-testes-de-novo-missil-nuclear-intercontinental.html

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Ebola se alastra na Libéria e o país terá muito mais casos, diz OMS


Ebola
A Libéria, país mais afetado pela epidemia de Ebola do Oeste Africano, deverá registrar milhares de novos casos uma vez que o vírus está se alastrando exponencialmente, disse a Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta segunda-feira.

A epidemia, a pior desde que a doença foi descoberta em 1976, matou cerca de 2.100 pessoas na Guiné, Serra Leoa, Libéria e Nigéria e se espalhou também pelo Senegal.

A OMS acredita que levará de seis a nove meses para conter a doença e que ela poderá infectar até 20.000 pessoas. Na Libéria, a doença já matou 1.089 pessoas -- mais da metade de todas as mortes registradas desde março nesta epidemia regional.
"A transmissão do vírus Ebola na Libéria já é intensa e o número de novos casos está aumentando exponencialmente", disse a agência da ONU em um comunicado. "O número de novos casos está aumentando muito mais rápido do que a capacidade de gerenciá-los em centros de tratamento específicos para o Ebola."
Quatorze dos 15 condados da Libéria têm relatado casos confirmados. Logo que um novo centro de tratamento contra Ebola é aberto, ele imediatamente é sobrecarregado com pacientes.
"Em Monróvia, táxis repletos de famílias inteiras, dos quais alguns membros podem estar infectados com o vírus Ebola, cruzam a cidade à procura de leitos para tratamento. Não há nenhum", disse.
No condado de Montserrado, que inclui a capital Monróvia e é o lar de mais de um milhão de pessoas, a equipe de investigação da OMS estimou que 1.000 leitos são urgentemente necessários para os doentes de Ebola, disse o comunicado.
Moto-táxis e táxis regulares se tornaram "uma fonte quente" de transmissão do Ebola.
O governo da Libéria anunciou nesta segunda-feira que está estendendo o toque de recolher noturno em todo o país imposto no mês passado para conter a disseminação da doença.
Serra Leoa, na semana passada ordenou uma "reclusão" de quatro dias em todo o país, a partir 18 de setembro, como parte de esforços mais severos para impedir a propagação do vírus Ebola.
O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu ao primeiro-ministro britânico David Cameron, ao presidente da França, François Hollande, ao presidente cubano, Raúl Castro, e ao presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, para aumentar o apoio, disse seu porta-voz.
Embora os governos e organizações em todo o mundo estejam liberando dinheiro e suprimentos para a região, a OMS disse que seus parceiros de ajuda devem aumentar os esforços em três a quatro vezes para combater a epidemia.
(Reportagem adicional Bate Felix em Dacar, Aaron Maasho em Addis Ababa, David Alexander em Washington, e Alphonso Toweh e Jame Giahyue na Monróvia)

fonte:http://info.abril.com.br/noticias/ciencia/2014/09/ebola-se-alastra-na-liberia-e-pais-tera-muito-mais-casos-diz-oms.shtml

Aquecimento global pode liberar carbono retido nos solos



Uma equipe de pesquisadores fez uma descoberta alarmante: com o aumento de temperatura ocasionado pelo aquecimento global, a decomposição realizada por comunidades microbianas no solo pode se acelerar, lançando ainda mais gases de efeito estufa na atmosfera. Os cientistas estimam que atualmente 60 bilhões de toneladas de dióxido de carbono já sejam liberadas dessa forma, e que a quantidade total de CO2 retida nas terras do planeta equivalha a quatro vezes aquela sequestrada pelas plantas.

“Porque os solos armazenam mais do que o dobro de carbono do que a atmosfera, mudanças nas taxas de decomposição e liberação de dióxido de carbono do solo podem ser muito importantes”, diz Kristiina Karhu, principal autora do estudo. O artigo que foi publicado semana passada na revista Nature concluiu que, neste cenário, a capacidade do solo de sequestrar carbono pode ser fortemente reduzida ou até eliminada.

Os cientistas coletaram amostras de diferentes regiões geográficas e climáticas, variando desde o Ártico até a Floresta Amazônica. Eles constataram que os solos cultivados não demonstraram variação nas taxas de decomposição, já na terra de regiões árticas ela foi fortemente estimulada – o que é preocupante, pois é justamente nos ecossistemas polares que a temperatura aumenta mais rapidamente.

fonte:http://revistagalileu.globo.com/Ciencia/Meio-Ambiente/noticia/2014/09/aquecimento-global-pode-liberar-carbono-retido-nos-solos.html

Meteorito abre cratera de 12 metros de diâmetro na Nicarágua

O meteorito era "relativamente pequeno", que pode ter vindo de um asteroide que estava passando perto da Terra

Meteorito levou centenas de moradores de Manágua, capital da Nicarágua, a abandonarem suas casas no final de semana Foto: Nicaraguan Army / AP

Fragmento de asteroide provocou forte explosão nas imediações do aeroporto da capital Manágua. Centenas deixaram suas casas por medo de um terremoto. Não houve mortos ou feridos.

O impacto de um meteorito levou centenas de moradores de Manágua, capital da Nicarágua, a abandonarem suas casas no final de semana por temores de um terremoto. O medo foi provocado por uma forte explosão ocorrida, na noite deste sábado (06/09) para domingo, numa área florestal nos arredores do aeroporto internacional da cidade.

Cientistas do Instituto de Geofísica (Ineter) confirmaram ao jornal local La Prensa que a explosão aconteceu em decorrência da queda de um meteorito, que abriu uma cratera de 12 metros de diâmetro e 5,5 metros de profundidade. Não houve mortos ou feridos, e os voos do aeroporto da cidade, com cerca de 1,2 milhão de habitantes, não foram afetados.

"Estamos convencidos de que foi um meteorito. Nós vimos a cratera provocada pelo impacto", disse Wilfried Strauch, do Ineter.

O impacto da queda foi tão forte que checou a ser registrado por instrumentos de medição de terremotos. "É possível observar duas ondas: primeiro, uma pequena onda sísmica quando o meteorito atingiu a Terra, e, depois, uma mais forte, que é o impacto do som", afirma Strauch.

Testemunhas que vivem nas imediações do local da cratera relataram ter ouvido a explosão e que areia e poeira foram soprados com o vento, que tinha o odor de queimado. Curiosamente, não houve relatos de traços de luz.

Testemunhas que vivem nas imediações do local da cratera relataram ter ouvido a explosão e que areia e poeira foram soprados com o vento Foto: Gene Blevins / Reuters

Autoridades nicaraguenses afirmaram ainda que um comitê formado pelo governo para estudar o acontecimento concluiu se tratar de um meteorito "relativamente pequeno", que pode ter vindo "de um asteroide que estava passando perto da Terra".

A Nasa havia dito na última semana que o asteroide batizado de "2014 RC" passaria a cerca de 40 mil quilômetros do centro do planeta – cerca de um décimo da distância do centro da Terra à Lua. Astrônomos haviam estimado que o asteroide teria 20 metros de cumprimento, ou seja, cerca de o tamanho de uma casa. A previsão era de que o corpo celeste estivesse mais ou menos sobre a Nova Zelândia no momento em que passasse mais perto da terra, no fim do dia deste domingo.

Em fevereiro de 2013, um episódio semelhante foi observado nas proximidades da cidade russa de Tcheliabinsk, onde estima-se que a queda de um meteorito tenha gerado uma energia equivalente a mais de 30 vezes a da bomba de Hiroshima. O impacto danificou aproximadamente 7 mil edifícios na região, deixando cerca de 1.500 feridos.

fonte:http://noticias.terra.com.br/ciencia/meteorito-abre-cratera-de-12-metros-de-diametro-na-nicaragua,b6c2ee2229458410VgnCLD200000b1bf46d0RCRD.html

Bóson de Higgs poderia destruir o Universo, diz Stephen Hawking


Stephen Hawking Declaração de Stephen Hawking foi feita no prefácio do livro “Starmus”
O bóson de Higgs tem potencial para destruir o Universo. Essa é a conclusão do físico teórico Stephen Hawking em prefácio do livro “Starmus”, uma coletânea de palestras de cientistas e astrônomos, como Neil Armstrong e Buzz Aldrin.
Segundo Hawking, níveis energéticos muito elevados da partícula podem torná-la instável. Esse processo causaria uma decadência catastrófica do vácuo, o que levaria a um colapso do espaço e tempo.

Porém, um desastre como este é improvável. Isso porque os físicos não têm um acelerador de partículas grande o suficiente para criar um experimento desse tipo de experimento.
Segundo Hawking, o potencial da partícula é preocupante apenas em níveis energéticos acima de 100 bilhões de GeV (giga elétron-volts, medida padrão para a massa de partículas subatômicas). Mas uma máquina dessas precisaria ser maior do que a Terra e é improvável que seja financiada no atual clima econômico.
O LHC e a Partícula de Deus – Atualmente, o LHC, o Grande Colisor de Hádrons, do Cern (Centro Europeu de Pesquisa Nuclear), é considerado o maior acelerador de partículas do mundo. É nele onde os cientistas buscam resolver as lacunas da física moderna.
O acelerador é capaz de colidir partículas, como prótons, quando dois feixes de energia são disparados em direções opostas. A máquina faz as partículas subatômicas viajarem a velocidade da luz para simular as condições do Big Bang, explosão que deu origem ao Universo há mais de 14 bilhões de anos.
Foi dessa forma que os físicos comprovaram a existência do bóson de Higgs, também conhecido como Partícula de Deus. Segundo a teoria moderna do Modelo Padrão, essa partícula e o campo energético a ela associada foram responsáveis por conferir massa à matéria após o Big Bang.
O Bóson de Higgs foi proposto há mais de 40 anos para explicar a origem das massas das partículas pelo físico Peter Higgs. Ele sugeriu que todas as partículas não possuíam massa logo após o Big Bang.
Conforme o cosmos esfriou, um campo de força invisível, o “campo de Higgs”, se formou com seus respectivos bósons (um tipo de partícula subatômica). O campo permanece no cosmos e qualquer partícula que interaja com ele recebe uma massa através dos bósons. Quanto mais interagem, mais pesadas se tornam.

Nota: O bóson de Higgs ficou conhecido como Partícula de Deus após a publicação do livro "A Partícula de Deus: Se o Universo é a resposta, qual é a pergunta?", escrito em 1993 pelo físico Leon Lederman, ganhador do Prêmio Nobel.

fonte:http://info.abril.com.br/noticias/ciencia/2014/09/boson-de-higgs-poderia-destruir-o-universo-diz-stephen-hawking.shtml

Relatório: Gases com efeito de estufa batem recorde em 30 anos

Relatório: Gases com efeito de estufa batem recorde em 30 anos 
A concentração de gases com efeito de estufa na atmosfera jamais foi tão elevada e a sua expansão regista o maior salto em 30 anos. Nunca em 300 milhões de anos os oceanos apresentaram uma taxa de acidez como a de 2013. Os dados são de um estudo que a Organização Meteorológica Mundial (OMM) publica esta terça-feira, em Genebra. O texto revela que a taxa de dióxido de carbono (CO2) bateu todos os recordes em 2013.
O relatório, segundo especialistas, alerta que as políticas ambientais adoptadas até agora não estão a dar resultados e exige a fixação de metas ambiciosas. «Entre 1990 e 2013, houve um aumento de 34% nas forças radioactivas, que representam o efeito de aquecimento no nosso clima», apontou o estudo. Os gases avaliados foram o CO2, metano e N2O.
Para 2013, a taxa de concentração de CO2 ficou 142% acima da era pré-industrial, no ano de 1750. Já a concentração de metano aumentou 253%. A maior preocupação, porém, é o crescimento de CO2 entre 2012 e 2013 - a maior taxa desde 1984. «Dados preliminares indicam que isso foi possivelmente relacionado ao fato de que a biosfera absorveu menos CO2, enquanto as emissões do gás continuaram a aumentar», diz o texto.
A concentração de gases é o que fica na atmosfera depois de um complexo sistema de interacções entre a biosfera, os oceanos e a atmosfera. Um quarto do total das emissões é absorvida pelos oceanos, mesma proporção que vai para a biosfera.
«No lugar de cair, a concentração de CO2 está de facto a aumentar e no ritmo mais elevado em 30 anos», disse o secretário-geral da OMM, Michel Jarraud. «O tempo está a esgotar-se e sabemos sem qualquer sombra de dúvidas que o nosso clima está a mudar por causa das actividades humanas», afirmou. Pela primeira vez, o volume de CO2 chegou a 396 partes por milhão em 2013 - em um ano, aumento de 2,9 partes por milhão.
O relatório também apontou que, face às emissões, os oceanos estariam a apresentar a sua maior taxa de acidez. Por dia, os oceanos estariam a absorver cerca de 4 quilos de CO2 por pessoa. A acidez dos oceanos deve acelerar-se, o que vai gerar consequências para corais, algas e moluscos. Outro impacto da acidez é a redução da biodiversidade.

fonte:http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=728518

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Criança de três anos torna-se 'mais jovem criança a ter mudança de sexo de tratamento

Três anos é o mais jovem de cerca de 500 crianças que foram encaminhadas para os transtornos de identidade de gênero possível

A partir dos símbolos femininos e masculinos. Intersexual ou transgênero.
O símbolo intersexual ou transexual é derivado dos símbolos femininos e masculinos. (Fibonacci / Wikimedia Commons)
Uma criança de três anos de idade, tornou-se um dos mais jovens de sempre a receber tratamento para um possível transtorno de identidade de gênero, que foi revelado.

Os três anos de idade, foi visto por especialistas que tratam de disforia de gênero, uma condição em que uma pessoa experimenta desconforto ou sofrimento, porque há uma incompatibilidade entre seu sexo biológico e gênero.

Médicos da Clínica de Portland, em Londres tratado a criança, que era o mais novo de 468 crianças menores de 18 anos atendidos no hospital privado no ano passado.

Não se sabe se a criança é um menino ou uma menina, embora geralmente sete vezes mais meninos são encaminhados para a disforia de gênero como meninas. Especialistas do Portland dizer a maioria das crianças que são encaminhados para tratamento optar por não ter qualquer tratamento de mudança de sexo ou cirurgias.

O ex-promotor de boxe Kellie Maloney, anteriormente chamado Frank, anunciou ao mundo em agosto que ela está tendo uma mudança de sexo. Ela já havia dito que "Provavelmente foi quando eu tinha três ou quatro que eu sabia que era diferente."

Um porta-voz da clínica disse ao Sunday Mirror: "No caso de crianças com disforia de gênero na pré-puberdade, a maioria não acabar escolhendo a realizar intervenção física."

Fonte: http//vitoriasempre.net

sábado, 6 de setembro de 2014

Chuvas torrenciais deixam mais de 200 mortos no Paquistão

Quatro distritos estão em alerta máximo. Maior parte das mortes ocorreu por desabamento de casas e deslizamentos.

Da France Presse
Menino paquistanês em sua casa suja de lama em Rawalpindi, neste sábado (6) (Foto: Farooq Naeem/AFP)Menino paquistanês em sua casa suja de lama em Rawalpindi, neste sábado (6) (Foto: Farooq Naeem/AFP)


As chuvas torrenciais no Paquistão deixaram mais de 200 mortos nos últimos três dias e causaram danos em milhares de casas, informaram as autoridades neste sábado (6), que decretaram alerta vermelho em quatro distritos.
A maior parte das mortes ocorreram por desabamento de telhados, eletrocuções e deslizamentos de terra na província mais povoada, Punjab, e na parte de Caxemira sob administração paquistanesa.
O balanço em Punjab é de 55 mortos e 235 feridos. Os distritos de Jelum, Sialkot, Nankana Sahib e Narowal foram colocados sob alerta vermelho.
O primeiro-ministro paquistanês, Nawaz Sharif, realizou neste sábado uma reunião de crise para examinar a situação e ordenou que as autoridades acelerem os esforços de socorro e salvamento.
Em 2010, as piores inundações da história do Paquistão deixaram cerca de 1.800 mortos e afetaram 21 milhões de pessoas.
Soldados paquistaneses auxiliam na remoção de desalojados após fortes chuvas. (Foto: Farooq Naeem / AFP Photo)Soldados paquistaneses auxiliam na remoção de desalojados após fortes chuvas. (Foto: Farooq Naeem / AFP Photo)
 
fonte:http://g1.globo.com/mundo/noticia/2014/09/chuvas-torrenciais-deixam-mais-de-200-mortos-no-paquistao.html

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Militar estadunidense recomenda DEFCON 1 devido ameaça iminente àquele país

Aqui está um assunto que (talvez) não tem nada a ver diretamente com o nosso tema, contudo é de suma importância para todos e deve ser divulgado. Abaixo está a tradução de um artigo de Aaron Gardner, que foi publicado no site redstate.com, com alguma anotações feitas por mim, onde apropriadas:

No sábado passado, o ‘Tenente General’ aposentado McInerney (que é um cargo militar nos Estados Unidos dado ao segundo em comando no campo de batalha) apareceu em entrevista para a FoxNews, onde ele emitiu um alerta assustador sobre uma horrível e eminente possível ameaça àquele país. Citando um livro que ainda está para ser publicado por uma “importante rede de notícias” não divulgada, o General predisse sobre um revelação “abaladora” que irá prenunciar um grande evento antes ou em 11 de setembro deste ano.

Veja abaixo a entrevista em inglês:





Logo antes do segmento acima, a apresentadora da FoxNews, Uma Pemmaraju e o Tenente General McInerney falaram sobre a segurança nas fronteiras daquele país, a ameaça do ISIS (sigla em inglês para Estado Islâmico no Iraque e na Síria) na Síria e no Iraque, e a relação entre estes casos. Pemmaraju então perguntou ao militar aposentado sobre o que suas fontes estavam lhe contanto. Foi quando o militar declarou:


“Em 7 de setembro, uma grande rede de notícias e uma grande rede editora irão lançar um livro, e o que está acontecendo e aconteceu irá abalar o mundo. O fato é que podemos ver um 11/9/2014 mh-370 surgir novamente. Devemos estar preparados para qualquer coisa; deveríamos entrar em DEFCON 1, nosso mais alto estado de alerta, e estarmos preparados à medida que nos aproximamos de 11 de setembro.”

Pois bem, os Estados Unidos nunca entrou em DEFCON 1 pelo simples fato de que isso significaria que a guerra nuclear seria iminente. O mais perto que ele chegou foi DEFCON 2, quando houve a Crise de Mísseis de Cuba, na década de 1960. Se os informantes de McInerney estão lhe contando a verdade, e realmente for necessário entrar em DEFCON 1, então é porque [como expressado na reportagem original em inglês por Aaron Gardner], ‘o escremento está em curso de impacto com o aparelho rotacional de vento’.

Infelizmente, teremos todos que esperar. Quando Pemmaraju pediu a McInerney para dar maiores detalhes sobre esta bomba jornalística, ele respondeu: “Não posso dar maiores detalhes do que já falei. Mas será importante e os EUA devem ficar alertas. Estamos menos seguros hoje do que há seis anos.“

Logo após o segmento ter ido ao ar, Aaron Garder enviou um mensagem via twitter à apresentadora Uma Pemmaraju:


Aaron: Parece que esta história não será liberada até 7 de setembro. Uma: Fique ligado a este período de tempo.

Sem ir mais adiante sobre as possíveis causas de tal alerta, paro por aqui, esperando que novamente a minha ‘tese’ se repita: ‘Quando algo é anunciado abertamente e, consequentemente, esperado por um grande número de pessoas, as chances de que isso aconteça diminuem drasticamente’.

Quero estar certo mais esta vez; contudo, só o tempo dirá.

http://ovnihoje.com/2014/08/26/militar-estadunidense-recomenda-defcon-1-devido-ameaca-iminente-aquele-pais/#axzz3CTZu0mtB

Brilho misterioso no Oceano Pacífico é registrado em foto por pilotos comerciais

Um piloto de um jato comercial e seu co-piloto avistaram um brilho vermelho/alaranjado no Oceano Pacífico.  As estranhas luzes foram avistadas ao sul da península russa de Kamchatka, durante o voo de seu Boeing 747-8, de Hong Kong até Anchorage, no Alasca. Apesar de não haver nenhuma explicação ainda para o fenômeno, há suspeitas de que ele tenha sido causado por um enorme vulcão subaquático.
O piloto holandês J.P.C. van Heijst explicou no site PBase sobre o incidente:
estranho-brilho-no-Pacífico4Na noite passada, por sobre o Oceano Pacífico, em algum lugar ao sul da península russa de Kamchatka, vi a coisa mais horripilante até agora na minha carreira de piloto.
Após aproximadamente 5 horas de voo, o Japão já tinha ficado há muito tempo para trás e estávamos cruzando à uma altitude confortável de 34.000 pés, com aproximadamente 4,5 horas para chegarmos até o Alasca.
Escutamos no rádio a respeito de terremotos na Islândia, Chile e São Francisco, e já que haviam alguns vulcões em nossa rota que poderiam ou não ficar ativos durante nosso voo, conferimos novamente com as torres de navegação para ver se havia qualquer atividade em nossa rota, após sairmos de Hong Kong.
estranho-brilho-no-Pacífico1Então, muito longe à nossa frente, logo acima do horizonte, uma clarão intenso subiu do solo.  Parecia ser um raio, mas muito mais intenso e direcionado verticalmente  ao ar.  Nunca vi nada como isso antes, e não apareceram clarões antes ou depois desta única explosão de luz.
Já que não havia nenhuma tempestade em nossa rota ou no radar climático, ficamos alertas para possíveis tempestades que poderiam estar escondidas de nosso radar e causar algum problema mais tarde.
Decidi tentar tirar algumas fotos do céu noturno e do estranho brilho verde que estava por todo o hemisfério norte.  Eu acho que era algum tipo de Aurora Boreal, mas era muito mais dispersa.  Também, eu nunca havia visto nada similar a isso antes.
estranho-brilho-no-Pacífico2Aproximadamente 20 minutos mais tarde no voo, notei um brilho vermelho/alaranjado aparecendo à nossa frente, e era um pouco estranho, já que supostamente não deveria haver nada abaixo, mas somente oceano por centenas de quilômetros ao nosso redor.  Uma cidade distante, ou um grupo típico de barcos pesqueiros não faria sentido nesta região, além de que as luzes que vimos eram muito maiores em tamanho e de cor vermelha/alaranjada, ao invés das cores amarelas e brancas que cidades e navios poderiam produzir.
estranho-brilho-no-Pacífico3Quanto mais perto chegávamos, mais intenso o brilho se tornava, iluminando as nuvens e o céu com um tom assustador de laranja, numa parte do mundo onde não deveria haver nada, mas somente água.
A única causa para este brilho vermelho que pudemos presumir, seria a explosão de um enorme vulcão logo abaixo da superfície do oceano, a aproximadamente 30 minutos antes de sobrevoarmos aquela posição.
Estando o aeroporto mais próximo a menos de 2 horas de distância, e existindo a possibilidade de voarmos para dentro de uma perigosa e invisível coluna de cinzas no meio da noite, não estávamos exatamente felizes.  Felizmente, não encontramos nada assim…
…Não havia nenhuma outra aeronave próxima, ou na mesma rota, para que pudessem confirmar o que vimos, ou confirmar qualquer tipo de nuvens de cinza.
Reportamos nossas observações ao Controle de Tráfego Aéreo e uma investigação foi iniciada para descobrir o que aconteceu nesta remota região do oceano…

fonte:http://ovnihoje.com/2014/08/29/brilho-misterioso-oceano-pacifico-e-registrado-em-foto-por-pilotos-comerciais/#axzz3CTZu0mtB

O RETORNO DOS ANNUNAKIS - PARTE 1

O RETORNO DOS ANNUNAKIS - PARTE 2

Cientistas se preparam para resolver o mistério do DNA sumério

Os antigos sumérios, construtores da primeira civilização conhecida no mundo, são um mistério para nós.  Assentando-se no que agora é chamada de região sul do Iraque, em aproximadamente 5.400 AC, eles produziram uma linguagem escrita, um sistema complexo de mitologia, uma arquitetura impressionante e um mundo perdido que manteve hegemonia regional por milhares de anos.  Não sabemos de onde veio sua linguagem; nem mesmo sabemos de onde vieram seus genes.  Não temos a menor ideia de quem são seus descendentes modernos, e nunca fomos capazes de testar os restos do DNA sumério.
Skeleton of a 12-year-old Sumerian boy, from the Pergamon Museum in Berlin. While human skeletal remains are fairly durable compared to the rest of us, they do eventually break down over time. Photo: © 2007 Marcus Cyron. Licensed under Creative Commons Attribution License.
Bem, pelo menos até agora.  Um esqueleto completo encontrado na capital suméria, Ur, datado de aproximadamente 4.500 AC, foi recentemente redescoberto no Museu Penn – e seus dentes intactos incluem suficiente tecido macio para permitir um teste de DNA.
Apelidado de “Noé”, o esqueleto parece ter sobrevivido o antigo dilúvio e tudo mais que ocorreu após:
A equipe do [arqueólogo britânico, Sir Leonard] Woolley encontrou 48 ou mais túmulos numa planície inundada; uma área que é sujeita regularmente às enchentes.  Os esqueletos lá eram, de forma incomum, muito antigos, datando de uma era antiga conhecida como o período Ubaid (6.500- 3800 AC), mas somente um deles estava intacto e possível de ser removido.  O esqueleto foi escavado, junto com a terra ao seu redor, dado uma demão de cera e enviado primeiramente para Londres.  Porém, ao chegar na Filadélfia, nos EUA, ele foi esquecido.
Até recentemente, os primeiros defensores para o teste de DNA sumério têm sido os seguidores de Zecharia Sitchin, o qual acreditava que a civilização suméria antiga socializava com extraterrestres e poderiam ter carregado genes alienígenas.  Mas há muitas outras razões controversas para o estudo do DNA sumério: ele nos dirá de onde vieram os primeiros construtores de cidades e quem são seus descendentes contemporâneos.  A migração dos sumérios é uma das grandes histórias ocultas da civilização humana.  Se nossa meta for a de descobrir isto, esta exame de DNA é a melhor ferramenta que temos.

fonte:http://ovnihoje.com/2014/09/03/cientistas-se-preparam-para-resolver-o-misterio-dna-sumerio/#axzz3CTZu0mtB

Comente no Facebook